Homepage

Webinar

Lóbi em Portugal – que futuro?


Fonte: http://www.martinslampreia.com/

TESTEMUNHOS

Parceiros

Jaime Pereira dos Santos

“A quem interessa que o Lobby não esteja regulamentado?
Para não sabermos quem exerce a actividade profissional de lobista?
Para um titular de cargo político, ou alto cargo público, possa desempenhar a actividade profissional de lobista enquanto estiver no cargo?” (+ info)

Henrique Burnay

“Deve haver registo de transparência, e os decisores (governantes, administração pública, deputados) só deveriam reunir com quem esteja registado no registo de transparência. Estas reuniões (incluindo encontros, etc) deveriam constar de uma agenda pública dos decisores” (+ info)

Pedro Luíz de Castro

“A atividade de lobbying define-se na sua essência como a capacidade de influenciar o poder político numa fase prévia à decisão política. Isto pode ser feito em termos nacionais, ou municipais. Portanto aqui influenciar significa passar conhecimento e informação necessária e suficiente ao decisor, para que possa decidir em consciência, pesando os prós e os contras antes de qualquer decisão.” (+ info)

Vânia Dias da Silva (CDS-PP)

“Saber como, quando e quem influenciou cada determinação pública é um desígnio que a pungente necessidade de transparência no exercício de funções públicas reclama e que a regulamentação do lobbying garante” (+info)

Grupo Parlamentar do PS

“O que se pretende construir é um modelo em linha com as soluções das instituições europeias, que atenda às especificidades da realidade portuguesa, na qual estão institucionalizados mecanismos de concertação social e de participação de entidades privadas na construção de políticas públicas, algumas delas constitucionalmente obrigatórias” (+info)